Vida pessoal x vida de empreendedor: busque o equilíbrio e evite danos por excesso de trabalho

Saiba como criar gatilhos para desligar e evitar uma sobrecarga capaz de prejudicar os negócios e comprometer sua saúde.

Você, empreendedor, consegue tirar férias, assistir a um bom filme ou simplesmente deitar na cama sem pensar na empresa? E, ao acordar, já pensa em trabalho nos primeiros segundos?

Preocupar-se com sua empresa é natural, mas fique atento: não é saudável deixar que os negócios dominem suas ideias, impeçam você de dar atenção à família – e a si mesmo – ou consumam toda sua energia.

Buscar o equilíbrio entre a dedicação ao empreendimento e a vida pessoal é fundamental. Parar um pouco não vai comprometer a atividade empreendedora, ao contrário: você evita o estresse e outros problemas que aparecem com a sobrecarga.

Mesmo com toda a correria do dia a dia, os desafios e as exigências, ser dono do próprio negócio não deve ser um peso que comprometa sua saúde. É por isso que o indicado é sempre fazer algo que dê prazer, o que pode tornar a missão menos árdua.

“O empreendedor tem que procurar uma atividade empresarial com a qual ele tenha muita satisfação pessoal, realização, plenitude, para que ele não fique tão preocupado assim com essa necessidade de desligar”, afirma Enio Pinto, gerente da Unidade de Relacionamento com o Cliente do Sebrae.

Tente diminuir o ritmo

Ainda assim, é preciso entender que há vida fora do trabalho e desligar pode fazer bem. Algumas horas de descanso por dia, um final de semana bem aproveitado ou períodos mais longos, como férias, podem ser decisivos para você render mais quando voltar.

Também é importante definir limites para as horas dedicadas ao negócio e levar suas determinações a sério, com a mesma disciplina com que trabalha. Algumas medidas são mais simples, como ocupar a mente com um hobby ou praticar uma atividade esportiva – melhor ainda se for algo que exija concentração. Outros podem parecer assustadores para quem não consegue desapegar, mas podem ser necessários, como desligar o celular e ficar longe dos e-mails, ligações ou aplicativos de conversa por um período determinado.

“Hoje, os negócios são digitais, as empresas funcionam 24/7 (o tempo todo, 24h por dia, sete dias por semana). Para que você possa se desconectar do seu negócio, você também tem que abandonar seu telefone celular”, afirma Enio.

Se você nem consegue pensar nessa possibilidade, ter um sócio de confiança pode ser a segurança que você precisa para conseguir se desconectar por algumas horas do dia: “Encontre alguém que vai cuidar tão bem (da empresa) quanto você, ou até melhor. Você vai se sentir seguro e sair do ar”.

O sócio ainda pode cumprir outro papel importante: o de ajudá-lo a perceber quando a carga de trabalho está excessiva. Muitas vezes, você entra em um modo tão automático que nem percebe o problema.

Essa missão também pode ficar com algum amigo ou familiar, como recomenda o professor Marcelo Afonso Ribeiro, coordenador do Centro de Psicologia Aplicada ao Trabalho (CPAT) do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP).

“Ajuda ter alguém que dê um toque quando a coisa está passando do limite. Tem gente que fica braba quando falam ‘você está trabalhando demais’, mas quem está falando quer ajudar”, afirma.

Fique atento aos sinais

O problema, segundo o professor, não está em dedicar tanto tempo a sua empresa, mas no que pode acontecer em decorrência desse desequilíbrio. Você começa a se alimentar mal, dormir mal, tem pouco contato com a família e, quando tem vida social, esse universo é associado ao trabalho. Fica cada vez mais difícil encontrar uma válvula de escape.

Ficar atento aos sinais pode evitar que você desenvolva alguma doença ou até acelere problemas já existentes (como um infarto precoce, caso tenha problema cardíaco). “Depende muito da pessoa, de como ela é constituída psicologicamente e fisiologicamente. Há uma lista de coisas que podem acontecer”, explica Ribeiro, citando a depressão, crises alérgicas e insônia como exemplos.

Como os perfis e ritmos são diferentes, a receita de equilíbrio muda de uma pessoa para outra. Quem está com o negócio em fase inicial, por exemplo, pode optar por dar um gás maior no início sem que isso represente riscos.

Seja qual for seu estágio, lembre-se: para o seu negócio ir bem, você precisa estar bem.

Fonte: https://g1.globo.com/especial-publicitario/vae/bradesco/noticia/2021/06/02/vida-pessoal-x-vida-de-empreendedor-busque-o-equilibrio-e-evite-danos-por-excesso-de-trabalho.ghtml

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *